Nas últimas aulas do 1º ano do Ensino Médio, os alunos conheceram e manusearam o aparelho que tem aumentado três vezes a taxa de sobrevivência de pessoas que sofrem uma parada cardiorespiratória.

O professor Roberto Trindade trouxe um desfibrilador automático externo (DAE) para a sala de aula, explicou seu funcionamento com uma apresentação em PowerPoint e logo depois os alunos fizeram testes.

“Com a introdução recente dos desfibriladores, um elo a mais foi formado entre o leigo e  as equipes de emergência, permitindo a aplicação da desfibrilação precoce com o consequente aumento da taxa de sobrevivência. Tais desfibriladores, como o que foi apresentado em aula, são mais leves e portáteis, além de possuírem gravações sonoras com todas as orientações de procedimento e manuseio do aparelho. Isto permite que pessoas sem treinamento avançado e habilidade para o diagnóstico de arritmias, possa intervir em casos de parada cardiorespiratória”, explicou Trindade.

A disseminação do uso dos desfibriladores externos automáticos permitirá sua futura disponibilidade em lugares públicos e privados relacionados à possível presença de indivíduos em risco.

Foi uma aula muito importante já que agora esta turma pode realizar o procedimento em uma situação de emergência. Clique aqui e veja as fotos da aula.

About these ads