Clássicos ou contemporâneos. Nacionais ou estrangeiros. Não importa. No Friburgo o que importa para os alunos do 7º ao 9º  anos do Ensino Fundamental é ler. E se para a grande maioria dos estudantes brasileiros, essa atividade é enfadonha, para esse pessoal, passou a ser uma paixão, de forma que vários deles não desgrudam de suas obras prediletas nem mesmo nos momentos de lazer e nas férias.

Esse é o efeito de dois projetos aplicados na escola há quatro anos. No “Leitura Compartilhada”, o professor indica uma obra, que é lida e estudada em sala de aula com orientação do docente. Já o “Leitura de Escolha Pessoal” permite que os próprios alunos escolham as obras que desejam ler. E é neste último que acontece a surpresa: ao lado de obras pop do universo Victoria, Tatyane, Lais, Michele, Marina e Júliaadolescente de hoje, como Harry Potter, estão clássicos como Vidas Secas, de Graciliano Ramos, O Alienista, de Machado de Assis, Vastas emoções e pensamentos imperfeitos, de Rubem Fonseca, e até Ensaio sobre a Cegueira, do português José Saramago. Ressalte-se: todos escolhidos pelos próprios alunos.

“Esse é um trabalho que não apenas cria o hábito da leitura, mas também o gosto por ela”, diz Paula Trindade, professora de Português e idealizadora dos projetos. Ler Lima Barreto, Clarice Linspector e Machado de Assis também é um importante aspecto de integração, troca de experiências e de conhecimento social para a garotada. “Normalmente os alunos fazem Professora Paula Trindadeamizades e se identificam nas baladas. Aqui, os relacionamentos começam também com a leitura. Os alunos comentam entre si, trocam livros e estimulam uns aos outros”.

Em maio será iniciada uma nova fase dos projetos. Além das avaliações, os alunos estão escrevendo breves resenhas sobre pelo menos uma das obras que leram. A idéia é publicar todo esse material em um site ou até no formato de livro. “Serão cerca de 150 indicações feitas pelos estudantes e um rico acervo de crítica literária”, prevê a professora de Português com grande – e justo – entusiasmo.