Iracy e volntárias do Projeto Escrever CartasCertas coisas a gente nunca esquece. Especialmente quando vidas são transformadas. Sete alunas do Colégio Friburgo tiveram uma experiência assim na sexta-feira, 25 de abril. As meninas debutaram no Mudando a História, projeto realizado em parceria com a Fundação Abrinq e que capacita alunos a partir dos últimos anos do Ensino Fundamental a fazer mediação de leitura em instituições que trabalham com adolescentes e crianças em situação de risco.

Extravasando alegria e ensaiando brincadeiras, elas mostravam uma mistura de empolgação e expectativa na van alugada pelo Friburgo para levá-las à Ong Gotas de Flor com Amor, entidade que lida com crianças de cortiços e favelas da Zona Sul de São Paulo. Não era para menos. Depois de meses de treinamento, as estudantes Natália Costa, do 7º A, Beatriz Fogaça do 8º A, Ana Carolina Araújo, Marina Coppola, Gabriela Cruz e Julia Behring, todas do 9º A, e Beatriz Pereira de Almeida, do 2º ano B do Ensino Médio, finalmente teriam seu primeiro contato com a molecada.

No começo, elas pareciam intimidadas. Mas com o apoio das multiplicadoras Carolina Siqueira, Anastásia Murphy e Marília Guedes Silveira, alunas do 3º ano do EM que fizeram a mediação no ano passado, aos poucos todas foram ficando à vontade. Depois de algumas dinâmicas e brincadeiras, coube a Ana Carolina a tarefa de ler para os pequeninos uma historinha em um livro ilustrado. Nessa altura, todos pareciam estar em casa e ser amigos de longa data. Algumas crianças abraçavam e deitavam no colo das mediadoras, tirando dúvidas e apontando para os desenhos a cada página. Em seguida, cada menina e menino pegou um livrinho e começou a lê-lo ao lado de uma estudante do Friburgo.

As despedidas deixaram gosto de quero mais. Tudo bem. A partir de agora, todas as semanas elas estarão lá, cultivando os relacionamentos e conquistando os baixinhos. Se for preciso, levando até bolo para ganhar a confiança deles e abrir portas, como fez Carolina no ano passado. O que vale é Marlia e Júlia com grupo de alunos do Gotas de Flor com Amorser solidário e mostrar que outro mundo realmente é possível. “Vemos a importância desse esforço quando recebemos ligações, como a de uma professora da Ong, que nos disse que nosso trabalho estava sendo decisivo para o aprendizado das crianças”, explica Iracy Garcia Rossi, Diretora Pedagógica do Friburgo.

No caminho de volta, cansadas mas satisfeitas, só havia uma reclamação: “Cadê os meninos que fazem parte do projeto e hoje deram cano na gente?”. Tem coisa que, mesmo com o passar dos anos, não muda…

Anúncios