tempoNão conseguimos estudar História se não tivermos a noção de tempo. Isso é fato. Por este motivo os alunos do 6º ano participaram de uma discussão sobre como sentimos a passagem do tempo. “Cinco minutos na cadeira do dentista passam mais devagar do que cinco minutos na praia. Por quê?”, questiona o professor Wagner.

Na atividade que ocorreu em sala de aula, a turma começou a pensar nas diferentes maneiras de sentir a passagem do tempo. Depois de elaborar uma relação de acontecimentos que viveram onde o tempo passou mais depressa e outra onde ele demorou a passar, os alunos leram três clássicos da Música Popular Brasileira que têm o tempo como foco principal: Tempo Rei (Gilberto Gil), Tempo Perdido (Legião Urbana) e Oração ao tempo (Caetano Veloso).  Terminada a leitura o professor pediu aos alunos que escrevessem suas observações sobre o pensamento e opinião de cada um dos compositores.

Para encerrar o trabalho, elaboraram um poema, usando toda a sua imaginação e criatividade para mostrar como veem e sentem o tempo.  Clique aqui e leia alguns desses poemas.