Durante todo este ano, os alunos do 3º ano vão aprender sobre a cultura indígena dentro do Projeto Índios do Alto Xingu. Para se aproximar desta cultura e vivenciar a rotina dos índios, no dia 27 de abril, as turmas saíram com destino à Juquitiba, interior de São Paulo, para viver uma incrível experiência: ver e conviver com os índios da tribo dos Kuikurus.

Durante todo o mês de abril, em comemoração ao Dia do Índio (19/04), o Sítio Toca da Raposa recebe representantes dos Kuikurus como hóspedes. Para o conforto dos convidados, o espaço do sítio é cuidadosamente preparado e ambientado como uma verdadeira aldeia, com direito a ocas com redes e cozinha. Desta forma os índios podem se sentir mais próximo de casa, e os visitantes têm a oportunidade de sentir como é a moradia dos índios.

Antes da visita os alunos, em sala de aula, fizeram uma relação com todas as perguntas que gostariam de fazer. A curiosidade dos alunos foi muito grande em relação a temas como alimentação, estudo e aprendizagem, cuidados com a saúde, vestimentas, comemorações especiais, trabalho, língua, higiene pessoal, entre outros.

Durante a visita suas perguntas não foram apenas respondidas como também vivenciadas. Todos puderam entrar na oca, ver as redes onde os índios dormem, a cozinha montada no centro e até provaram seus pratos típicos. Aprenderam sobre as tintas utilizadas para as pinturas corporais, viram como utilizam o arco e flecha, além de assistir a apresentações da luta uka-uka e de danças típicas. Na hora da dança os alunos foram convidados para participar e também entraram na roda.

Outra oportunidade muita enriquecedora foi poder conversar com o cacique da tribo e fazer todas as perguntas que queriam. Foi um dia inesquecível e cheio de aprendizado!

As turmas também aproveitaram a infra-estrutura do local, com animais de diferentes espécies e até um escorregador gigante.

Clique aqui e veja as fotos da visita.

Leia trechos dos relatórios com as descobertas feitas pelos alunos:

João Pedro – Enfeites – “Eles tem vários enfeites como cocar, colar, braçadeira, brinco, etc. O cocar de pele de onça só pode ser usado pelo cacique. Existem vários tipos de colares, um deles é feito de casca de caramujo branca, as braçadeiras são feitas de vários jeitos, uma delas é de miçangas.”

Luiza – Brinquedos – “O avião é um brinquedo que vários índios gostam de brincar porque se você correr muito rápido ele começa a fazer barulhinho e começa a girar a hélice. O arco e flecha de brinquedo não machucam porque tem cera de abelha na ponta. O pichu é uma flecha que quando é jogada para cima faz um barulho agudo que espanta os pássaros.”

Maria Laura – Caça e pesca – “Os índios usam a rede para pescar quando tem uma grande festa. O timbó é usado pelas crianças quando precisam carregar uma grande quantidade de peixes. A armadilha Kundu é colocada no rio para os peixes entrarem e depois não conseguem mais sair. O arco e flecha são usados para pegar uma quantidade pequena de peixes e caça. A zarabatana é usada para caça de animais e funciona assim: você assopra no animal e ele desmaia.”

Fernando – Pajé – “O pajé é o médico dos índios. Ele usa um chocalho e um boneco. O boneco é colocado em cima do índio doente e a doença passa para o boneco. Aí o pajé dá o boneco para um índio da família e ele desfaz o boneco no rio para a correnteza levar a doença. Depois o pajé faz a dança da pajelança.”

Davi – Moradia – “A oca tem troncos em forma de escada no meio, em cima é coberta de sapé e todos dormem em redes”.

Ana Carolina – Pintura – “A tinta vermelha é feita de uma fruta chamada urucum. O branco é feito com argila do rio e o preto de carvão. Eles e pintam de branco, vermelho e preto.”