You are currently browsing the category archive for the ‘Princípios e Valores’ category.

A educação escolar assim como a concebemos, se amplia além da “formação acadêmica”. Consideramos função da escola, aliada às famílias, investir na construção da identidade voltada ao sentido de cidadania que lhe é implícito. A escola, por ser um laboratório vivo A reflexão para a construção do pensamentodas práticas sociais é, por excelência, o lugar onde as crianças e adolescentes tem a possibilidade de aprender a conviver e construir os valores democráticos para uma cidadania responsável, dentre os quais destacamos:
• o respeito às diferenças
• a solidariedade
• a responsabilidade
• a autonomia moral

É através da vivência cotidiana no ambiente escolar que esta construção se efetiva.

Diversos instrumentos, que atuam tanto no âmbito individual quanto no coletivo, possibilitam que, dia a dia, estes valores sejam incorporados. Dentre estes dispositivos podemos destacar alguns:
Momentos de reflexão (Individuais e coletivos) – Sob a mediação dos professores e coordenadores, situações de conflito interpessoais e de crise são objeto freqüente de análise.
Contratos didáticos e educacionais – Instrumentos formais que definem acordos realizados entre o(s) aluno(s) e professores/ coordenadores com o objetivo de cumprimento de trabalhos escolares (contratos didáticos) ou mudança de comportamento (contratos educacionais).
Assembléias de classe – Momento escolar organizado para que os alunos possam falar, discutir e encaminhar propostas sobre tudo o que possa otimizar o trabalho e a convivência. Participar do ritual da assembléia propicia o desenvolvimento do espírito democrático nas crianças e nos jovens.
Fichas de auto-gestão – Instrumentos de orientação que visam a organização pessoal e a auto-avaliação sistemática do cumprimento e da qualidade do trabalho produzido.

Leia mais:
Comunidade escolar em sintonia
Nossa prática educativa

Voltar para Educar para a responsabilidade

Anúncios

A partir dos pressupostos sobre como se processa a aprendizagem, que se desenvolve nossa prática educativa.

Rejeitamos a idéia de que aprender é reproduzir um conhecimento dado e nos alinhamos à concepção de aprendizagem enquanto um processo interior de construção de significados. É a partir desta idéia que conduzimos nossas ações de ensino.

Trabalhos culturais estabelecem a interação entre diversas disciplinasSituações de ensino são planejadas a partir do diagnóstico sobre os conhecimentos prévios que os alunos possuem e prevêem sempre o estímulo das operações de pensamento. Os diferenciais para cada série se definem em função das possibilidades de realizar operações cada vez mais complexas ao longo da vida escolar. Desta forma, privilegiamos as metodologias que estimulam a atuação efetiva dos alunos na resolução de problemas propostos, merecendo destaque os trabalhos com projetos didáticos que se desenvolvem nos diversos níveis.

Uma sólida formação acadêmica
Toda esta atuação didática se faz lastreada nos conteúdos escolares que caracterizam cada uma das séries. Estes se definem e se organizam em função das possibilidades de:
• Desenvolver o potencial cognitivo
• Fornecer embasamento para aprendizagens futuras
• Fornecer instrumental para compreender e interpretar parcelas cada vez mais amplas da realidade. 

Ao longo do processo escolar, estes conteúdos ganham densidade e profundidade. É a ampliação deste repertório de conhecimento que possibilita o desenvolvimento do verdadeiro espírito crítico, sustentado em argumentações consistentes. Reconhecidamente esta é uma marca característica de nossos alunos, manifestada por diversas instituições ao entrarem em contato com os jovens que completaram seus estudos no Friburgo.

Estes resultados satisfatórios são alcançados em conseqüência de efetiva exigência no cumprimento das diversas modalidades de trabalho, atividades e exercícios, aliados à construção de senso de responsabilidade no cumprimento dos mesmos.

Instrumentos metodológicos em ação
Não somente modificando a metodologia de ensino nas disciplinas tradicionais, mas enriquecendo o currículo através de novas disciplinas, o Friburgo encontra-se em consonância com os Parâmetros Curriculares para o Ensino Fundamental e Médio.

É em busca de constante atualização de sua prática educativa que introduz modernos instrumentos metodológicos e tecnológicos ao seu ensino, ao mesmo tempo em que vem re-significando metodologias antigas. A Roda, o Registro, o Trabalho Individual, o Trabalho em Grupo, a Pesquisa que ora inclui a Rede Web, Estudos de Campo ou Meio, 2ª Versão e outros são alguns dos instrumentos metodológicos que compõem nossa prática. Textos sobre os mesmos são disponibilizados junto à escola.

Leia mais:
Aprender a ser e a conviver

Comunidade escolar em sintonia

Voltar para Educar para a responsabilidade

A integração entre alunos, professores e família é uma das alavancas que torna o ensino do Friburgo uma experiência bem sucedida. Acreditamos que o ensino funciona como uma engrenagem, uma cadeia na qual toda comunidade escolar deve estar em sintonia.

Uma atenção especial à aprendizagem
Certamente este é um pilar central do Projeto Educativo do Friburgo. É a partir das idéias que temos incorporado sobre “como os meninos e meninas aprendem” que organizamos o Alunos apresentam trabalhos - Clique para ampliarcurrículo, distribuímos os conteúdos, definimos estratégias e propomos atividades nas disciplinas das diversas séries. Estas concepções sobre aprendizagem atualizam-se ao longo dos anos entre nossa equipe de educadores, a partir dos freqüentes estudos que realizamos sobre as teorias dos grandes pensadores que marcaram o último século, como Piaget, Vigotsky e seus seguidores. Ao colocarem o foco de suas investigações científicas nos processos internos responsáveis pela aprendizagem, isto é, no que ocorre no interior do aprendiz ao se processar a aprendizagem, grandes contribuições trouxeram à missão de ensinar.

Buscando uma tradução sintética deste pensamento, o ponto de partida para qualquer aprendizagem é aquilo que o aluno já conhece.  Mesmo nos momentos iniciais da escolaridade, esta construção não é efetuada a partir do marco zero. Com base no conhecimento que o aluno pôde construir, previamente, é que o novo conhecimento ganha significado. A relação entre o novo conhecimento e aquilo que o aprendiz já conhece é mediada pelas habilidades do pensamento. São elas que, comparando, identificando semelhanças e diferenças, inferindo, deduzindo e hierarquizando as informações, promovem a contínua ampliação da rede de conhecimentos de cada indivíduo.

Leia mais:
Nossa prática educativa
Aprender a ser e a conviver

Voltar para Educar para a responsabilidade

“Um aluno pode reter importantes informações ou manejar com perfeição modernos computadores; pode ter excelente redação, fazer com rapidez cálculos e passar nos vestibulares. Todavia, se não tiver desenvolvido o espírito de cidadania, será aluno incompleto, fruto de trabalho incompleto.” 

Cleide Terzi e Paulo Ronca

Alunos brincam na árvore durante o intervalo

Entendemos que educar para a responsabilidade é educar para ser feliz, assim como o definia Aristóteles, no sentido mais amplo do termo:  “a boa vida é composta de três formas de felicidade:

  • A primeira forma de felicidade é uma vida de prazeres e satisfações.
  • A segunda forma de felicidade é uma vida como cidadão livre e responsável.
  • E a terceira forma de felicidade é uma vida como pesquisador e filósofo*”

Aluno apresenta trabalhoQueremos para os nossos alunos, o que pais querem para os seus filhos. Que estudem a sério. Que tenham autonomia para aprender. Que tenham acesso às informações necessárias para o conhecimento mas que, sobretudo saibam onde buscá-las, além da sala de aula, discerni-las, selecioná-las e aplicá-las na sua formação intelectual, profissional e de valores humanistas. Que desenvolvam a capacidade da crítica construtiva, do convívio cooperativo e solidário, da responsabilidade para com sua vida, a vida dos outros e da preservação do meio em que vive.

Portanto, que desenvolvam uma cidadania consciente que se expressa em participação ativa na melhoria da condição humana. Que adquiram a sensibilidade necessária para perceber as potencialidades do homem, através do conhecimento científico, artístico e espiritual.

Leia mais:
Comunidade escolar em sintonia
Nossa prática educativa
Aprender a ser e a conviver

Arquivos

agosto 2019
S T Q Q S S D
« nov    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031  
Anúncios
%d blogueiros gostam disto: