You are currently browsing the category archive for the ‘Sala de aula’ category.

    

Os alunos do 7º ano, depois de estudarem o gênero reportagem, foram incentivados a pesquisar sobre “Alimentação Saudável”, tema de grande importância e preocupação, por isso, muito presente na mídia.

Pirâmide alimentar, absorção dos nutrientes, sugestões de cardápio, orientações da Organização Mundial de Saúde e até mesmo os cuidados para evitar doenças como diabetes e obesidade são assuntos comentados pelos alunos.

“Além de desenvolverem o trabalho de pesquisa, escrita e revisão, elaborando textos-reportagens sobre o tema, os alunos também refletiram sobre seus hábitos alimentares”, explicou a professora Silvana Oliveira, responsável pelas aulas de Português.

Todas as reportagens serão expostas em um mural, não somente para apresentar este projeto, como também para alertar e orientar os alunos sobre a importância de se alimentar de maneira saudável.

Anúncios

Os alunos do Ensino Médio têm se aproximado de diferentes gêneros literários, interagindo, entendendo e retratando autores, histórias e épocas variadas.

No 1º ano as turmas elaboraram poesias, como prova texto, depois de entenderem os gêneros épico, narrativo, dramático e lírico. “É importante fazer com os alunos se sintam capazes de perceber que podem escrever um texto diferenciado. Este trabalho estimula a escrita”, explica a professora Daniela Campos.

Quinhentismo, Barroco, Arcadismo e Romantismo fizeram parte das aulas dos alunos do 2º ano. Depois de assistirem ao filme “A Sociedade dos Poetas Mortos”, na sala multimídia, cada um elaborou a sua resenha. “Utilizar músicas, filmes, pinturas, esculturas faz parte das aulas de Literatura. Traçar um panorama geral das Artes faz com os alunos entendam melhor cada período da história e, consequentemente, os gêneros literários”, conclui a professora. Por exemplo, para entender o Trovadorismo nada melhor do que perceber o lírico feminino por trás das letras do músico Chico Buarque de Holanda.

Já no 3º ano, depois de ler uma das principais obras de Machado de Assis, “Memórias Póstumas de Brás Cubas”, os alunos fizeram uma análise e responderam a 60 questões sobre o livro. A correção desta atividade foi feita com um debate sobre o tema. Logo após, cada um foi desafiado a escrever uma autobiografia póstuma. “A experiência foi muito interessante. Usando o sarcasmo e a ironia – típicos de Machado de Assis – os alunos escreveram uma espécie de desabafo, sem censura, sem a preocupação de desagradar alguém”, disse Daniela.

Alguns alunos aceitaram compartilhar os trabalhos aqui no site. Clique nos links abaixo para ler:

1º ano – Lara Alice
1º ano – Larissa
2º ano – Natália
3º ano – Beatriz
3º ano – Yannis

Nas últimas aulas do 1º ano do Ensino Médio, os alunos conheceram e manusearam o aparelho que tem aumentado três vezes a taxa de sobrevivência de pessoas que sofrem uma parada cardiorespiratória.

O professor Roberto Trindade trouxe um desfibrilador automático externo (DAE) para a sala de aula, explicou seu funcionamento com uma apresentação em PowerPoint e logo depois os alunos fizeram testes.

“Com a introdução recente dos desfibriladores, um elo a mais foi formado entre o leigo e  as equipes de emergência, permitindo a aplicação da desfibrilação precoce com o consequente aumento da taxa de sobrevivência. Tais desfibriladores, como o que foi apresentado em aula, são mais leves e portáteis, além de possuírem gravações sonoras com todas as orientações de procedimento e manuseio do aparelho. Isto permite que pessoas sem treinamento avançado e habilidade para o diagnóstico de arritmias, possa intervir em casos de parada cardiorespiratória”, explicou Trindade.

A disseminação do uso dos desfibriladores externos automáticos permitirá sua futura disponibilidade em lugares públicos e privados relacionados à possível presença de indivíduos em risco.

Foi uma aula muito importante já que agora esta turma pode realizar o procedimento em uma situação de emergência. Clique aqui e veja as fotos da aula.

Depois da leitura do livro “Una mano en La arena” para as aulas de Espanhol do 9º ano, os alunos formaram duplas e ensaiaram diálogos dos personagens da história.

Na hora da apresentação, levada a sério pela turma que providenciou até peças para montar os figurinos, a professora Andrea Blasques avaliou a entonação, dicção e pronúncia da língua espanhola de cada aluno.

“Avaliações como esta são importantes porque todos querem se apresentar bem e na frente dos colegas começam a treinar a postura e o desembaraço de falar em público”, explica a professora.

Veja algumas fotos.

Alunos do 6º ano foram até a sala multimídia pra participar de uma aula especial de Português, dando continuidade ao estudo do gênero “contos”. Todos escutaram um conto fantástico narrado pela própria autora Marina Colasanti.

“O objetivo desta atividade foi fazer com que os alunos pudessem perceber a entonação diferenciada na maneira de contar a história utilizada pela autora”, explicou a professora Silvana.

Após esta etapa os alunos leram e interpretaram um conto popular. Agora os alunos estão se preparando para uma produção escrita desse gênero. A atividade será finalizada com uma roda de leitura onde cada aluno vai apresentar seu conto para a turma.

Na aula de Biologia do 3º ano, do Ensino Médio, durante os estudos sobre o sistema digestório, descrição e fisiologia dos órgãos, os alunos foram desafiados a desvendar as doenças de seis casos relatados e seus sintomas.

“A proposta desta atividade é fazer com que os alunos, analisando os sintomas, descubram quais são as doenças, cuidados e tratamento adequado. Os sintomas foram descritos e eles precisam tomar a decisão médica correta. Os casos vão desde os mais simples até os que devem ser encaminhados urgentemente para intervenção cirúrgica”, explicou o professor Carl Gutschow.

Este foi um exemplo de aula interessante, envolvente e muito explicativa. Os alunos trouxeram material de casa para a pesquisa e também utilizaram o Laboratório de Informática. Se reuniram em grupos e buscaram as respostas para todas as dúvidas, realcionando corretamente os sintomas com a doença.

As turmas do 5º ano apresentaram neste início de dezembro uma linda exposição sobre o tema trabalhado durante o ano no projeto de História e Geografia: Marcos do Século XX.

A exposição foi cuidadosamente montada com muitas ilustrações, textos e materiais trazidos pelos alunos para contar sobre fatos que marcaram o período, como: Guerras Mundiais, Getúlio Vargas, Juscelino Kubitschek e a Bossa Nova, Construção de Brasília, a chegada do Homem à Lua, Ditadura Militar, Diretas Já, Guerra Fria e a queda do Muro de Berlim, Bossa Nova, Elvis, Santos Dumont, Hitler e Albert Einstein.

Este foi um projeto muito rico, trabalhado durante o ano e que teve como produto final esta exposição para pais, alunos e convidados. Quem também esteve presente foi o professor Wagner Ribeiro, responsável pelas aulas de História do 6º ano, e que foi prestigiar seus futuros alunos e gostou muito do que viu.

“A nossa intenção trabalhando com este tema é levar a criança a perceber que a história não é algo distante dela, que está nos livros, nos filmes, na TV, nos jornais e também no cotidiano, na própria existência e no exercício da cidadania. Nunca um período ofereceu tamanha riqueza de documentação”, conclui a coordenadora Eni Spímpolo.

No final, os alunos ainda apresentaram juntamente com Irajá – professor de Música – um repertório especial deste momento também muito importante na Música Popular Brasileira.

Clique aqui e veja as fotos.

No dia em que alunos do Ensino Médio se preparavam pra realizar a prova do ENEM, os alunos do Fundamental II também passaram por uma importante avaliação.

A Prova Multi, com 40 questões de múltipla escolha do conteúdo de diversas disciplinas, além de uma redação, teve três horas de duração e contou com a adesão de 99,9% dos alunos.

Além da possibilidade de somar até um ponto na média final de acordo com o resultado, esta prova serve como termômetro para que o aluno perceba quais são suas maiores dificuldades e facilidades. Ótima preparação para as provas finais do ano letivo.

Veja fotos dos alunos durante a prova.

De onde vem o som? Como o corpo localiza uma fonte sonora? Como o som é captado pela membrana timpânica?

Os alunos do 4º ano foram para o laboratório de Ciências para fazer uma experiência muito interessante. Todos os itens fornecidos pela Sangari, que é responsável pelo material didático de Ciências (do 2º ao 6º ano e também para o 9º ano) foram disponibilizados para os alunos nas bancadas. Usando tubos de metal de diferentes tamanhos, baquetas de madeira e espuma tipo “casaca de ovo”, os alunos montaram um instrumento musical, como o metalofone, e perceberam os diferentes sons produzidos, as faixas de frequência e o volume que a orelha humana consegue captar.

Aproveitaram para estudar a anatomia da orelha humana e o caminho que o som percorre até chegar ao cérebro.

Depois os alunos foram para o pátio para brincar ao ar livre com um deslocalizador sonoro. Uma engenhoca feita para tentar perceber, utilizando somente a audição, de que direção vem o som de um apito. “O aparelho foi um sucesso com as crianças. Todos fizeram questão de participar”, contou Angélica Zanlorenzi, bióloga responsável pelo laboratório.

Clique e veja as fotos.

Dentro do estudo do solo, nas aulas de Ciências, os alunos do 3º ano foram para o espaço do laguinho, preparados para fazer uma plantação e munidos de todos os materiais necessários.

Como o solo deve estar preparado pra receber as sementes? Todos não só sabem responder a essa pergunta como também cuidaram de todos os detalhes. “Fizemos uma compostagem trazendo de casa cascas de frutas e de ovos e agora colocamos na terra para adubar”, contou o aluno Arthur.

Para preparar o canteiro os alunos fizeram bolinhas de argila para colocar no fundo. “Elas não deixam o canteiro ficar inundado”, explicou Giovana. Na hora de plantar cada aluno fez um buraco na terra e depositou suas sementes.

“A partir do 5º dia as sementes começam a germinar e depois de uns 30 dias poderemos comer os rabanetes”, contou Gabriel, ansioso para ver o resultado do trabalho.

Ansiosa também estava aluna Carol que disse que depois de colherem os rabanetes vão preparar uma deliciosa salada cheia de alimentos que vem do solo.

Enquanto os rabanetes não crescem, a turma participou de outra atividade também proposta pelo programa de Ciências, fazendo um lanche natural. Cada aluno trouxe de casa um item para elaborar um sanduíche somente com alimentos vindos do solo. Ficou uma delícia e fez o maior sucesso com a turma!

O programa de Ciências desenvolvido pelo Ensino Fundamental no Colégio Friburgo conta com o apoio de um material didático muito especial. O CTC – Ciência e Tecnologia com Criatividade – desenvolvido pela Sangari e utilizado de maneira pioneira pelo Friburgo. O objetivo de trabalhar com este material, que além de livros, conta com inúmeros itens para desenvolver as experiências, é desenvolver nos alunos a curiosidade, uma atitude científica e investigativa.

Clique aqui e veja as fotos das atividades.

 

Arquivos

novembro 2017
S T Q Q S S D
« nov    
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930  
%d blogueiros gostam disto: